Automação na Logística de Transporte: Cadastro de Dados

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Com uma exigência cada vez maior por sistemas de logística de transporte mais inteligentes e eficientes, muitas empresas acabam optando por integrar um software de automação logística na sua cadeia com o objetivo de otimizar este processo importante e obter melhores resultados nos fretes de seus produtos.
Além de oferecer mais controle sobre as atividades realizadas pela área administrativa que cuida da logística de transporte, um sistema automatizado permite inúmeros benefícios para todos os outros setores da empresa, alinhando toda a produção, estoque e fornecedores com a entrega final do produto nos seus pontos de distribuição ou em seus clientes.
Apesar dos pontos positivos, a ferramenta digital precisa ser alimentadas com dados da forma correta, para que possa produzir os resultados esperados pela empresa. Sendo assim, o processo que envolve o cadastro de dados na ferramenta é o que representa toda a base de informações que será utilizada para fazer a gestão e os processos automatizados da logística do transporte. Os dados precisam ser inseridos de maneira perfeita, pois qualquer falha no seu cadastro pode resultar em análises incertas que irão refletir no resultado final dos serviços contratados sugeridos pela ferramenta.

Cadastro de dados na Logística de Transporte.

Por possuir uma ampla base de dados e uma série de critérios um pouco complicados, como por exemplo diversos tipos de taxas, o cadastro de dados logísticos para transporte deve ser feito de forma extremamente cuidadosa, a fim de minimizar ao máximo a inserção de dados incorretos.
Confira abaixo algumas das principais consequência de dados mal cadastrados em um sistema de gestão de transporte:

  1. Seleção automática de transportadora falha
  2. Cadastro de produtos e embalagens com divergência
  3. Erro no pagamento de faturas
  4. Cálculos e simulações de frete incorretos
  5. Roteiros e sequência de entregas mal construídos

Pensando nisso, vale a pena estabelecer dentro da empresa uma rotina de processos a ser seguida quando for necessário o cadastramento de novos dados no software automatizado de controle logístico de transporte. São pequenas regras da casa que servem para evitar falhas e facilitar o trabalho dos responsáveis pelo cadastramento.

Estabelecendo um padrão e revisão o trabalho.

Organizar e padronizar as informações que serão cadastradas e como elas serão cadastradas dentro da ferramenta é um dos primeiros passos para fazer tudo corretamente.
Ter todas as informações necessárias ao alcance e uma sequência lógica para o cadastro faz com que o fluxo de informações cadastradas seja muito mais eficiente e assertivo.
Após a finalização do cadastro das informações na ferramenta de automação, sempre vale a pena revisar o que foi cadastrado com as tabelas pelo menos uma ou duas vezes. Isso serve para garantir que nenhum dado foi inserido de forma incorreta acidentalmente, fazendo com que o software possa trabalhar de forma automatizada e gerando os resultados esperados.
Por fim, lembre-se, uma gestão automatizada pode ser uma excelente alternativa para poupar esforço da equipe e melhorar o sistema de gestão logístico da sua empresa, porém, ter atenção aos detalhes e aos dados cadastrados é sempre um dever dos responsáveis pela gestão.

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *