Evolução tecnológica para enfrentar a escalada do roubo de carga

Apesar dos recentes anúncios de redução do roubo de carga no RJ, os números nacionais ainda são alarmantes. A FIRJAN divulgou que os prejuízos acumulados nos últimos 6 anos superam os R$6 bi. Estamos com uma subtração média de R$3,9 milhões / dia onde SP lidera o ranking com 44,1% das ocorrência, seguido pelo RJ com 43,7%. Em 2011 foram 12 mil ocorrências a nível Brasil, e em 2016 foram 22 mil ocorrências, o que indica um crescimento de 86%.

Com essaa escalada e a sofisticação dos criminosos no roubo de carga, se faz necessária a evolução tecnológica das soluções de monitoramento de transportes. Nesse sentido, apresento algumas novidades tecnológicas que em conjunto com os rastreadores e a aplicação de torre de controle em tempo real, podem fazer a diferença na prevenção e na recuperação de cargas.

A solução consiste na instalação de componentes transmissores e receptores juntamente com o monitoramento em tempo real de regras associativas. Veja a seguir.

Vamos começar pelos novos dispositivos necessários…

Dispositivo Transmissor:

  • A tecnologia utilizada é imune aos Jammers (bloqueadores de sinal GPRS)
  • Possibilita a captura de sua geolocalização a partir de um dispositivo receptor (antena).
  • Possui identificação lógica (ID) única e exclusiva (como se fosse seu número de série)
  • Pode ser instalado no veiculo e/ou na carga. Se for na carga, sua configuração deve possuir bateria própria (autonomia). Essa autonomia não precisa ser muito grande, pois em caso de roubo, a iniciativa de recuperação precisa ser muito rápida.

Dispositivo Receptor (Antena):

  • As antenas podem ser seletivas, ou seja, vinculadas ao ID de dispositivos transmissores específicos. Ou podem ser abertas a todos os transmissores que estiverem em seu perímetro de cobertura. No caso de roubo a configuração é seletiva.
  • O perímetro de cobertura de uma antena pode variar conforme as características do ambiente em que ela for instalada. A altitude aumenta o perímetro de cobertura, podendo chegar a 3 km de raio.
  • A antena detecta o transmissor e captura a sua geolocalização (latitude e longitude).
  • As antenas podem ser móveis ou fixas e serão estrategicamente posicionadas para atenderem à cobertura de uma área ou trajeto alvo, Alvos esses que poderão ser em perímetros urbanos, rurais ou em rodovias. As antenas móveis podem ser instaladas em veículos e até em Drones.
  • Através de GPRS, a antena transmite os dados capturados para um servidor na nuvem. A antena também possui memória de armazenamento contingencial em caso de conexão off-line.

Novas regras importantes a serem consideradas no monitoramento em Tempo Real:

Com o uso intensivo de carretas compostas (cavalo + reboques) em nossa frota rodoviária, a prevenção e a recuperação de cargas ficou mais complexa. Ou seja, o monitoramento precisa vincular a carga ao reboque, que por sua vez precisa vincular o reboque ao cavalo, que pode estar vinculado a um ou mais batedores. Todos esses componentes precisam ser monitorados de forma inter-relacionada, considerando regras de segurança que exemplificarei a seguir.

O nível de sofisticação do crime é tão grande, que atualmente vivenciamos ocorrências de troca de cavalos e até cargas sendo retiradas com a carreta em movimento, sem que o motorista perceba. Sendo assim, a solução de monitoramento do transporte precisa considerar a tecnologia IoT não somente no cavalo, mas também na carga, nos reboques e nos batedores de escolta (se for o caso), controlando regras sobre distanciamento entre eles. Ou seja, a carga não pode se distanciar do reboque, o reboque não pode se distanciar do cavalo e os batedores precisam manter uma distância segura em relação à carreta. Nesse caso, os transmissores são colocados na carga, nos reboques, nos batedores e uma antena seria instalada no cavalo. A torre de controle dispara alertas digitais (SMS, Web, email, etc) no caso de ocorrência de distanciamento anormal entre as partes monitoradas.

Para recuperação de carga roubada, partimos do princípio que as antenas estão instaladas num perímetro alvo e a torre de controle esta aguardando a detecção da passagem de um transmissor (isca) nessa área monitorada. Se isso acontecer, a torre recebe a geolocalização, analisa a abordagem e prepara a ação de recuperação junto aos respectivos agentes.

Benefícios dessa solução:

  • A ação em tempo real a partir da detecção de uma tentativa de roubo, pode impedir a consumação do mesmo ou agilizar providências que reduzam as perdas em caso de consumação.
  • A solução consegue estruturar recursos mais efetivos à recuperação da carga roubada.

Outras aplicações dessa solução tecnológica:

  • Controle operacional e de usabilidade de Empilhadeiras
  • Controle de retorno de veículos locados (Locadoras)
  • Otimização operacional de Docas e Patios de caminhões.
  • Monitoramento de “Milk Run” Indoor e Outdoor (> precisão na geolocalização).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2683
Need Help? Chat with us